Isekai Ryouridou (Novel) – Capítulo 00

415 Visualizações

God of Isekai 
Tradução: BEFIRE | Revisão: BEFIRE | Edição: LeoS. ~Wazu


Capítulo 00: Prologo!

Quando acordei, estava numa estranha floresta. Estava deitado 
numa estranha floresta.
Eh...

Eu olho ao redor com uma cara sonolenta.

É uma floresta.

No meio da floresta.

Não, em primeiro lugar, "Uma floresta que eu reconheço" não existe, 
para mim que nasci e cresci no centro da cidade.

Além de tudo, o Japão não deveria ter uma densa selva tropical 
com aspectos amazônicos.

Uma grande árvore estranha.

Enormes folhas de samambaia.

Flores venenosas.

Pássaros que eu não conhecia cantarolando.

Os ramos e as folhas grossas estão em cima de mim, tanto que 
não consigo ver a cor do céu.

(Onde diabos estou?)

Enquanto eu estava coberto no meio de uma exuberante grama, 
eu refleti sobre mim mesmo.

Roupa de cozinha branca, avental branco, sapatos brancos.

No baú* há um símbolo preto com o nome de Tsurumi-ya.
*NOTA: não sei de que caralhos esse baú surgiu.

Pano branco amarrado na cabeça, a roupa habitual.

Por que estou, com essa aparência, deitado em um lugar como este?

Sentei de pernas cruzadas e tentei lembrar de coisas antes de perder a memória.

Então, quando tentei mover meu corpo, algo tocou minha mão.

Duro, macio, algo como uma madeira processada.

Quando puxei aquela coisa que estava coberta na grama...... Isso, era algo 
em uma bainha branca, uma das facas Santoku.

Bem usada, faca com cabo de ébano*.
(*Ébano é a designação comum às árvores do gênero Diospyros, da 
família das ebenácea. Estas árvores produzem uma madeira nobre 
e na maior parte das vezes muito escura e densa.)

O comprimento é de 21 cm*.
(*É da faca, seus mentes poluídas)

Não preciso retirá-la da bainha para ver. Isso é algo que meu pai valoriza 
mais do que sua vida, dos talheres Kyoto "Sakaki-ya" e sua obra-prima, a 
faca Santoku¹.

No momento em que eu vi. Lembrei de tudo.

_____________________________________________________

Meu nome é Tsurumi Asuta.

Tenho 17 anos, estudo no segundo ano do ensino médio. Altura 170 cm, Peso 58 kg.

Nascido em Chiba, Kanto no Tsugaru.

Minha casa é um restaurante público chamado Tsurumi-ya. Fui feliz até 
certo ponto. Não, era feliz. Até 1 mês atrás, antes que esses homens 
chegassem.

Por algum motivo, cada loja ao lado do nosso restaurante estava 
sendo reconstruída como um parque de diversões, e o dono do novo 
edifício disse: "Quero que você me venda sua terra."

Aparentemente, "porque eu quero fazer um estacionamento."

Embora o motivo seja "Eu quero estabelecer uma praça de alimentação no parque, e 
se um restaurante público estiver ao lado, é claro, os clientes vão diminuir."

Por ser um pedido parcial, é claro que recusamos educadamente. 
Mas o rival era ruim.

Aparentemente, o proprietário do novo edifício é um homem desprezível. 
Ele roubou os outros edifícios de seus proprietários anteriores por 
meios malignos.

É por isso que, após a reconstrução do prédio, começou sua insistência.

Fez um graffiti escrito "lugar contaminado" na parede do restaurante, 
chamou o telefonista de louco, jogou gatos mortos.... coisas assim, 
uma insistência clássica e má.

A única coisa diferente foi que eles fizeram um escândalo na revisão de 
nosso restaurante em um popular site de redes sociais com "essa loja 
parece ter alimentos contaminados."

É claro que nossos clientes leais não acreditam e sempre vieram como 
de costume.

Mas, o número de universitários que voltavam da universidade e paravam 
no restaurante foi reduzido, e foi claramente mostrado no número 
de vendas.

A internet tem grande influência, lamentei meu pai amargamente*
*NOTA: o protagonista lamenta o pai pela internet ter grande 
influência.

Mas ele riu.

"Se eles acreditassem nessas mentiras de que meus alimentos não 
podem ser comidos, então eles realmente viveram uma vida decep-
cionante", disse ele.

E agora, o riso parou.

Algumas horas antes...

Meu pai iria comprar alguns ingredientes. Antes de ser atropelado 
por uma van e ser enviado para o hospital de emergência.

Depois de receber a mensagem urgente, corri para o hospital vestindo 
as roupas de cozinha.

Na cama, meu pai ainda ri.

Embora, com ambas as pernas fraturadas.

Há bandagens em seus braços e cabeça, há sangue nas ataduras

De qualquer forma, a van parece ter acelerado a 80 km por hora, 
ele foi atingido de frente.

O médico diz: "É um milagre ele ter sobrevivido" com um rosto surpreso.

A van escapou, infelizmente.

Havia muitas testemunhas, mas a van não tinha placa, o motorista 
estava usando uma touca e óculos de sol.

É claro que é um crime planejado com antecedência.

Mas meu pai continua sorrindo.

Bem, se eles quiserem parar meu pai, vão precisar de um caminhão 
de lixo.

Então, meu pai perguntou ao médico.

"Então, quando me darão alta?"

"Bom, temos que fazer uns exames para avaliar direito, você terá o 
exame de ondas cerebrais e, ainda, a cirurgia de ambas as pernas..."

"Certo, e quando receberei alta?"

"Ainda não podemos confirmar... Devido às complicadas fraturas das 
pernas, não sabemos quanto tempo levará pra ganhar alta......"

"Haa, entendo, mas eu tenho que cuidar do meu restaurante. Eu não me 
importo de usar cadeira de rodas, então por favor me dê alta o quanto 
antes. Se eu deixar o restaurante para aquele idiota, estará tudo 
perdido."

Claro, o idiota sou eu.

Bem, se é meu pai, então, em cadeira de rodas ou muletas, ele 
continuará a usar a faca até morrer.

Quando penso assim, posso até rir.
Mas então... recebo um telefonema de Rena, minha amiga de infância.

"O restaurante, Tsurumi-ya está pegando fogo!"

Quando digo isso, meu pai parou de rir pela primeira vez.

"Asuta! A faca! É a única coisa que não deve ser queimada!"

Imediatamente eu corri para o restaurante.

Meu pai valoriza a faca santoku mais do que sua vida.

Não importa o lugar, a comida ou a ferramenta, um verdadeiro chef 
deve ser capaz de satisfazer o cliente. Mas meu pai diz exagera-
damente: "Mas só 'esse cara' não vou perder", a obra-prima que 
o antecessor "Sakaki-ya" forjou.

Não importa o tipo de crime, sendo atropelado por um caminhão, mesmo 
que ambas pernas estejam fraturadas, mesmo que a loja esteja queimada, 
a mente do meu pai nunca hesita.... mas se a faca santoku de "Sakaki-ya" 
queimasse, sua mente explodiria.

Então eu corri desesperadamente.

Na frente do restaurante, há uma dúzia de pessoas, os bombeiros 
já iniciaram suas atividades de combate a incêndios.

No entanto, "Tsurumi-ya" ainda está em chamas, a fumaça negra estava 
subindo no céu.

Não importa quantos litros de água gastavam, o fogo não apagava.

É como queimar num pesadelo.

"Asuta-chan..."

Rena correu em minha direção chorando.

Toquei em seus ombros, um pouco depois...... corri em direção as chamas.


____________________________
Nota¹: Santoku é uma faca muito usada nas cozinhas japonesas.

Está com qualquer problema? Reportar!